quinta-feira, 24 de dezembro de 2009

Climategate para 7 a 12 de Dezembro


(Reformatado em 2010-05-01. Este post foi copiado do meu blog do Sapo. Desculpem tudo o que não funciona.)


O que me chateia no AGAC
Em tempos que já lá vão, enchi-me de curiosidade e fui ver o que se passava com o AGAC, de que não sabia nada, fora que havia uma campanha de uma boa década a promovê-lo. Não precisei de mais de meia hora para ver que não se aguentava em pé.
O que eu descobri em menos de meia hora foi isto:

1. Não se usam modelos para fazer previsões!

Os modelos usam-se para compreender um sistema. Com os modelos, testamos o nosso conhecimento de um sistema. Assim que um resultado do modelo deixa de bater certo com as medições, o modelo, e a nossa compreensão do sistema, têm de ser revistos. Não são os dados que estão errados, é o modelo.
Isto é especialmente verdadeiro com sistemas abertos e cuja descrição matemática é complexa e, sobretudo, acerca dos quais ignoramos quase tudo. Um modelo em computador não é, nem, neste caso, descreve a realidade. Não passa de um jogo de computador sofisticado.

2. Uma hipótese que falha previsões deita-se fora

O modelo do IPCC e dos “cientistas do clima” tem falhado todas as previsões que tem feito, uma após outra. Até a astrologia e o Tarot acertariam mais vezes. Posto doutra forma: para acreditar no AGAC, é preciso acreditar noutras coisas que originam mais acertos.
Quando uma hipótese falha uma previsão, deita-se no lixo, porque é inútil.


3. A climatologia ainda sabe muito pouco

A climatologia é uma ciência jovem, com 20 a 30 anos, e que sabe muito pouco. Por assim dizer, ainda nem sabe onde estão as coisas nem o que são, nem sequer o que existe. É tão jovem que grande parte dos “cientistas do clima” vêm de outras áreas, porque quando se licenciaram não existia a climatologia como tal.

4. As previsões de tempo com mais de dez dias falham

E estes andam a fazer previsões para os próximos 50 e 100 anos. Não quero repetir que todas as previsões que fizeram até agora falharam.

5. O tempo é uma coisa que muda

Qualquer pessoa moderadamente instruída sobre geologia sabe que o clima nunca foi sempre o mesmo, e que já fez mais calor e mais frio que hoje. Da mesma forma, conhece a pequena interglaciação medieval e a pequena glaciação que se lhe seguiu. Durante todos estes milhões de anos tudo isso ocorreu sem que houvesse uso de combustíveis fósseis.

6. Muitos gritos e muita política indicam falta de credibilidade científica

Se há uma coisa que acompanha a hipótese do AGAC desde o princípio é o seu casamento com a política, e, desde o início, com a ONU. O que é está um organismo político, com pretensão reguladora, a fazer no meio da ciência? Nada. Não tem lá lugar.
Quando a isso se juntam grupos de activistas e declarações de políticos, logo ignorantes de ciência, mas sem dúvida aproveitadores, tudo aos gritos, há quase a certeza que está em curso uma campanha de desinformação mediática para promover, no imaginário popular, uma coisa muito duvidosa. Ou seja: alguém vai lucrar com isso.


Climategate para 11 de Dezembro


Não merecemos saber?
Esta semana, na sequência da minha actividade, falei com 60 pessoas. Nenhuma delas, nem uma tinha ouvido falar do Climategate! Algumas, depois de se lhe ter explicado, concluiram que era uma "teoria da conspiração", ou uma crença errónea como a dos que acham que o homem nunca foi à Lua. Isto, claro, independentemente de estar nas notícias (lá fora!) desde o dia 20, e da polémica que gera.
É certo que a cobertura mediática inicial foi vergonhosa: lá fora, de início, só a FOX News e o Daily Telegraph; cá, nada, e ainda há muita imprensa que está em plena negação ao fim de mais de vinte dias (Diário de Notícias, Visão, por exemplo). Mas o Google News em Inglês funciona.

Os "cépticos" fazem uma conferência informal ao lado da grande
"Slogan: o mundo não está a aquecer, está a ficar maluco.


Os 1700 cientistas que lavam mais branco
O Met Office (co-responsável pelo grupo de dados HADCRUT) fez uma votação de braço no ar para saber quem é que apoia o AGAC e ficou com 1700 assinaturas.
Faz lembrar aquelas votações e manifestações espontâneas do tempo do Salazar, que serviam para se saber quem é que não votava a a favor.
"Um cientista disse ao The Times que se sentiu obrigado a assinar.'O Met Office é um dos maiores empregadores de cientistas e há muito tempo que tem uma política de só contratar e trabalhar com aqueles que subscrevem as suas ideias sobre aquecimento global.'"
A imprensa toda, por aí, repete a história dos 1700 cientistas, mas sem este paragrafozito.



Al Gore até tem medo do Bjorn Lomborg!
Ena! Até do Bjorn Lomborg (ambientalista crítico) ele tem medo!!!


M4GF
Os Minnesottans For Global Warming, que já ofereceram ao mundo outras obras de arte de nível hm global (http://www.youtube.com/watch?v=nEiLgbBGKVk), têm várias sugestões para um Natal com Aquecimento Global:





We wish you some Global Warming!


Oops! Esquecia-me!
A Environmental Protection Agency (EPA), anteontem, decretou que o CO2 e demais gases de estufa (o vapor de água também?) são perigosos para a saúde humana!
Algumas pessoas perguntam-se acerca da vindoura legislação respiração secundária, proibição de respirar em espaços públicos fechados, etc. Os Americanos, entretanto, perguntam porque é que isso é assim, mas 20% da água da torneira não está própria para consumo.


Estufa. Destinada a provocar efeito de estufa. As plantas gostam.
As plantas produzem oxigénio. Nós respiramos oxigénio.


Período quente medieval




Neste gráfico que provém dos dados de Moberg (2005) pode compreender-se a preocupação subjacente ao Stick de Hóquei de Mann (e da restante Equipa de Hóquei): fazer desaparecer o período quente medieval.
Confrontados com a existência deste período quente, dizem que se trata apenas de um fenómeno local.
Pelo menos teria sido local à Groenlândia (Greenland, Terra Verde): os Viquingues, lá. estão enterrados debaixo de 2 metros de permafrost.


Climategate para 12 de Dezembro


Hoje há poucas traduções, porque tenho uma vida real.


Mais gráficos de gelo no Árctico
Dificilmente são preocupantes.



Como ajustar temperaturas
Como se fazem uns "ajustamentos" nos gráficos de temperaturas. O exemplo do aeroporto de Darwin.


Mais artigos a por as coisas nos sítios


Nova sondagem da CNN
Sondagem da CNN a 104 americanos, com uma margem de erro de 3%, publicada na segunda-feira:
  • 45% acham que o AG é um facto provado.
  • 31% acham que é uma teoria por provar.
  • 22% acham que não se deve ao Homem.
Carlin, A EPA e o relatório discretamente escondido
Um funcionário da EPA, Carlin, enviou um memorando à EPA (100 páginas em 4 dias) sobre as suas preocupações fundamentadas. Foi-lhe dito que não discutisse o asunto com ninguém, e o memorando ficou numa gaveta.
  • A temperatura global desce há mais de dez anos apesar de o CO2 aumentar
  • Investigação recente mostra a falha do IPCC ao prever furacões mais intensos e mais frequentes
  • Não há provas que a Groenlândia esteja a derreter
  • A recessão económica actual reduziu as emissões de CO2 mas isso não é mencionado
  • Investigação recente sugere que o clima parece basear-se em feedbacks negativos, e não os positivos assumidos pelo modelo do IPCC
  • Alterações nos gases de estufa parecem ter tão pouco efeito que é difícil encontrar algum nos registos de temperaturas em satélites desde 1978
  • Temperaturas de superfície são suspeitas por serem muito diferentes dos registos de satélites, e parece ainda menos provável que os gases de estufa as tenham afectado
  • Não é razoável concluir que os gases de estufa sejam um perigo, com base nos registos dos satélites, uma vez que a maioria das flutuações parecem dever-se a causas naturais e não humanas


Bjorn Lomborg: o Climategate não é uma coisa bonita


"Seria um erro não aprender umas lições desta trapalhada. O Climategate expôs um lado da comunidade científica que a maior parte das pessoas nunca chega a ver. Não foi uma vista bonita.
"O que os emails roubados revelaram foi um grupo dos climatologista mais influentes do mundo a discutir, fazer reuniões, conjurar juntos para pôr em prática o que é, para todos os efeitos, um catecismo partidário sobre alterações climáticas. Os dados que não apoiavam as hipóteses deles sobre aquecimento global eram distorcidos. Os peritos que discordassem das suas conclusões eram denegridos como 'idiotas' e 'lixo'. As revistas científicas que se atrevessem a publicar artigos com vistas contrárias eram ameaçadas com boicotes. A dissenção era esmagada, os factos suprimidos, o escrutínio impedido, e o fluxo livre de informação estrangulado.
"Como era de prever, o texto de mais de 3.000 emails roubados foi agarrado pelos cépticos das alterações climáticas antropogénicas como 'prova' que o aquecimento global não passa de uma vigarice fabricada por um punhado de intelectuais. E esta é a verdadeira tragédia do Climategate. O aquecimento global não é uma burla."
Vêem como eu sou magnânimo?


Bjorn Lomborg outra vez: antes quente que frio
Diz ele aqui que, enquanto o calor pode matar alguns milhares durante uma vaga de calor, o frio mata dezenas de milhar todos os anos. Avalia que o AG pode salvar mais de 20.000 vidas por ano, só nos UK. Este ponto de vista, segundo o qual o AG traz mais vantagens que inconvenientes, não é sustentado apenas por Lomborg.
O primeiro livro de Lomborg sobre a economia do ambiente e problemas e soluções alternativas, "The Skeptical Environmentalist", valeu-lhe ser corrido de congressos e revistas, diz-se.


Climategate: desdém pelo método científico


Três conferências de Michael Crichton
Afinal, o aquecimento global é causado pelos extraterrestres. Sim, pronto, é piada; mas vale a pena ler para se ver como se fabricam as coisas. Recomendado a recém-chegados ao planeta. Para saber se é de ler, responda à pergunta teste: onde é que você estava no 25 de Abril?


O mar está a subir? Onde? Onde?
Só uma notinha para estarmos esclarecidos: o mar sobe. Tem subido nos últimos séculos, uns tantos milímetros por ano. E também desce.


Portugal dá 12 milhões aos pobrezinhos do Aquecimento Global
Como se os tivéssemos.


As plantas gostam de CO2 e temperaturas altas
As plantas produzem o oxigénio para os animais. O CO2 é fundamental para as plantas. Cortar o CO2 é o mesmo que cortar-nos o oxigénio. Os ambientalistas são irresponsáveis, inimigos da humanidade e da vida.


Cientistas inexistentes desmentem tese central do AGAC em video



Estes cientistas não existem, porque o consenso é universal, a ciência está estabelecida, e não existe nenhuma oposição ao AGAC (Aquecimento Global Antropogénico Catastrófico): certo?
Basicamente: já houve temperaturas mais altas. Já houve muito maiores concentrações de CO2. O CO2 aumenta sempre 800 anos depois da temperatura. Em oscilações mais rápidas nos últimos anos, não existe correlação entre CO2 e temperatura. Logo, a tese central do AGAC, que a temperatura sobe porque o CO2 da actividade humana sobe, é falsa.



Isso, do carbono, a gente nã percebemos lá muito bem
"Em poucas palavras, os modelos teóricos não podem explicar o que observamos nos registos geológicos", diz o oceanógrafo Gerald Dickens, Prof de Ciências da Terra na Universidade Rice.


Mandem o Al Gore para Plutão, já!

Há "alterações climáticas" em...
Júpiter!

Talvez em Neptuno!

E em Tritão! E muitos, muitos mais!

E em Plutão!

E em Marte! Mas esta, já sabíamos.
Tanto CO2 das actividades humanas por aí. Duh.


2006: umas tantas de previsões do IPCC que não correm bem


E mais um fantástico video dos M4GW!

Sem comentários: