sábado, 12 de dezembro de 2009

Os ambientalistas não sabem física

(Reformatado 2010-5-1)

Cada vez mais me convenço que os ambientalistas não só não são gente séria, mas também não conhecem os mais pequenos factos da natureza. O que lhes vale é que os políticos ainda sabem menos física, o Zé Povinho confunde a física com a química e a ortografia, e os media, que estão no fundo da escala no que diz respeito a pensamento crítico, gritam tudo o que lhes contam num press release como se fossem um rebanho de histéricas.

No princípio de 2008 apareceu o habitual artigo catastrofista que dizia, nada mais nada menos, que nesse ano, em Julho, a calote polar árctica estava derretida. Se derreteu não dei por nada. Alguém reparou?

Mas também não interessa. Há coisas mais divertidas. Por exemplo, que se as calotes polares derreterem, o nível do mar aumenta comocaraças e as Seychelles ou as Maldivas ou as Marianas ou as Malvinas ficam a fazer companhia a Neptuno.

Isto implica que os ambientalistas não põem gelo no whisky. Eu ponho. Além disso, era eu pequeno e tenro quando me ensinaram o Princípio de Arquimedes e que o gelo tem uma densidade menor que a água. Até fazia, imagine-se, problemas com isso, e sem que houvesse calculadoras.

Proponho-vos uma experiência de cozinha. Arranjem gelo q.b. e um copo, tijela de sopa, ou coisa assim. Ponham lá dentro o gelo. Encham de água mesmo até à borda. Limpem bem de água por fora, não vão ser enganados pelos vossos desejos e tendência a observar o que mais gostam e vos convém em vez do que realmente acontece. Sem pingar, ponham em cima de um papel ou de um pano sequinhos. Deixem o gelo derreter e vejam se se verteu alguma água.

Se verter, eu perco. Se não verter, vocês pagam-me um almoço (decente). Se não verter e forem ambientalistas, pagam-me um almoço no Leão D'Ouro.

Ganhei, claro.

Sem comentários: