sexta-feira, 29 de janeiro de 2010

Amazónia: mais IPCC e panfletos do WWF

http://www.foxnews.com/scitech/2010/01/28/save-rainforest-climate-change-scandal-chopped-facts/

A Fox News reporta que mais uma parte do WG2 do IPCC (Cap. 13), em que se diz que 40% da Amazónia está em risco por causa do aquecimento global, vem, outra vez, dum panfleto do WWF, pelo que não vale um tostão furado.

Update: http://eureferendum.blogspot.com/2010/01/corruption-of-science.html

http://www.timesonline.co.uk/tol/news/environment/article7009705.ece

Aparentemente, o IPCC mencionou uma referência do WWF, que indica uma outra referência, que é da Nature, e esta referência original não diz o mesmo que diz o relatório do IPCC, nem o WWF.

O artigo original diz: "As madeireiras na Amazónia destroem ou matam 10-40% da biomassa das florestas no processo de colheita" (D. C. Nepstad, A. Veríssimo, A. Alencar, C. Nobre, E. Lima, P. Lefebvre, P. Schlesinger, C. Potter, P. Mountinho, E. Mendoza, M. Cochrane, V. Brooks, Large-scale Impoverishment of Amazonian Forests by Logging and Fire, Nature, 1999, Vol 398, 8 April, pp 505.)

O artigo seguinte (Rowell and Moore), referindo-o, diz: "Até 40% da floresta brasileira é extremamente sensível a pequenas reduções de precipitação". Já não é a mesma coisa! (Rowell, A. and P.F. Moore, 2000: Global Review of Forest Fires. WWF/IUCN, Gland, Switzerland) . Lembremo-nos que o WWF é uma organização activista, e não científica.

O IPCC diz, citando este último: "Até 40% da floresta amazónica pode reagir drasticamente a uma redução ligeira de precipitação". Ou seja, prefere usar a citção pervertida de uma organização activista, o WWF, a citar o original da Nature -- que não fala de precipitação nenhuma.

Sem comentários: