terça-feira, 2 de fevereiro de 2010

IPCC também se fundamenta em artigos de jornal




E quando acabará o rosário de referências ridículas na ciência consensual, inegável, robusta e peer-reviewed do IPCC? Já disse que não são difíceis de encontrar.
Mas enfim.
No AR4, WGII, capítulo 14, secção 4.6 que está aqui, afirmam os cientistas do IPCC na caixa 14.3: “Energia eléctrica de pouca confiança, tal como em bairros de minorias durante a onda de calor de Nove Iorque de 1999, pode aumentar as preocupações sobre saúde e injustiça ambiental”.
A afirmação é conjectural e tem um claro ar de tentativa alarmista social.
A referência dada é Wilgoren and Roane, 1999 (que pode ser usada para pesquisar no documento).
Indo às referências e procurando Wilgore, obtem-se “Wilgoren, J. and K.R. Roane, 1999: Cold Showers, Rotting Food, the Lights, Then Dancing. New York Times, A1. July 8, 1999”.
Desculpe? New York Times? É que nem sequer no New Scientist?
O artigo é este, se quiserem lê-lo.
O IPCC cita seja o que for, mesmo que não diga o que o IPCC diz que diz.

Update: O nosso inestimável colega ecotretas nota que também é citado o Seattle Times, aqui: Welch, C., 2006: Sweeping change reshapes Arctic. The Seattle Times. Jan. 1 2006.
 Diz respeito à secção 14.4.8 e documenta a afirmação "While the season for transport by barge is likely to be extended, the season for ice roads will likely be compressed". Parece ser uma afirmação anódina, a não ser para quem prefira estradas de gelo (ou deteste atravessar rios em canoas). Talvez pudessem evitar esta vergonha.

Sem comentários: