segunda-feira, 15 de fevereiro de 2010

Na semana passada


O British Council gasta verbas substanciais em “educação” sobre aquecimento global.

Revê-se o artigo da Nature que fundamenta a ideia de consenso, e como foi refutado, e a refutação viu a publicação recusada.

Fala-se de uma nova versão do stick de hóquei, a de Kaufman em 2009.

E do chamado Africagate, que soa mal em português, e é mais uma das asneiras do IPCC com a ausência de referências credíveis.
Outra vez dinheiros, os milhões que o governo inglês tem gasto a promover a conjectura do aquecimento global. Ao menos, os ingleses conseguem saber.
A BBC investiu milhares de milhões em aquecimento global.
Saiu um paper que diz que os estudos da seca, na Austrália, ignoram muitos factores básicos.
O WWF vem dar uma cabriola verbal para justificar o número da Amazónia.
As petrolíferas pagam aos cépticos, os governos pagam enormidades de dinheiro (100 vezes mais) para promover o Aquecimento Global Antropogénico Catastrófico.
Os promotores do Aquecimento Global Antropogénico Catastrófico querem ainda mais dinheiro para gastar em relações públicas.
A Audi sai-se com um anúncio de ficção científica distópica: The Green Police.
Volta a falar-se dos milhões recebidos pelo WWF e Greenpeace.
Pachauri, em entrevista, diz que vai lavar o cérebro às crianças.
Os autores do WGI do IPCC dizem que os cientistas sociais do WGII engataram as referências, e que é uma vergonha.
Menciona-se a colecção de artigos do Guardian sobre aquecimento global, e o Manual do Céptico, de Joanne Nova.
Bishop Hill tira do WGII do IPCC um parágrafo à sorte para verificar as referências, e desiste logo na primeira frase.
Gabriele Hegerl diz, de caras que o relatório do IPCC foi escrito para justificar as decisões políticas; e que a razão pela qual é a humanidade a causa do aquecimento global é porque não lhes ocorre mais nada.
Philip Campbell, editor da Nature, retira-se da comissão de investigação independente do CRU, por conflito ideológico.
Pachauri diz que os erros do IPCC não são erros.
Phil Jones responde de forma espantosa a uma entrevista da BBC.
Visitamos o velho assunto das reconstruções dendrocronológicas de Yamal.
A UE vai gastar estupidamente uma pipa de massa para promover uma economia de baixo carbono.

Sem comentários: