terça-feira, 2 de fevereiro de 2010

O estranho caso dos termómetros movediços




Não é o primeiro caso de termómetros desaparecidos ou movediços, e não é assunto novo: acontece só que ainda não tinha escrito sobre este caso aqui.
Trata-se das 49 estações meteorológicas chinesas que não têm localização nenhuma.
Em que se incluem 40 das 42 estações rurais.
Num dos casos, a estação foi mudada cinco vezes, e percorreu 41 quilómetros.
Wey-Chyung Wang, co-autor, diz que tinha as localizações das estações, ma já não consegue encontrá-las.
As estações estão envolvidas num estudo de Phil Jones e Wey-Chyung Wang sobre o efeito de ilha de calor urbana, em que conclui que o efeito de ilha urbana total é de cerca de um décimo do valor para a subida de temperatura, ou seja, negligível. Ora, não é essa a opinião de outras pessoas.
No entanto, Phil Jones recusou-se a divulgar os dados sobre estas estações até 2007.
Em 2008, Phil Jones escreve um novo paper (doi:10.1029/2008JD009916) para o Journal of Geophysical Research, em que conclui: “O aquecimento relacionado com a urbanização na China é de 0,1 ºC por década no período de 1951 a 2004, enquanto que o aquecimento climático verdadeiro produziu 0,81 ºC nesse período”.
Então, ao longo desse período, o aquecimento por efeito de ilha urbana foi de (2004-1951)/10*0,1 ºC= 0,52 ºC, e o aquecimento verdadeiro foi de 0,81 ºC.
Ou seja: não é negligível. E contradiz afirmações do IPCC, que se basearam no paper anterior de Phil Jones.

Update: porque é que este assunto não é novo:
Update 2: o paper de Jones de 2008 parece nunca ser citado pelos partidários do AGAC. Todos se ficam pela versão anterior, e tenho visto isto mais que uma vez. Deve haver uma razão?


Sem comentários: