domingo, 25 de abril de 2010

Arrefecemos? Vulcões, sol e a irmã do el Niño

O meteorologista Art Horn, no Icecap (sem link para o post), fala-nos das razões para podermos esperar um arrefecimento temporário. Os factores que se conjugam podem ser o vulcão Katla ou do Laki, um ciclo de manchas solares longo demais, mas sem dúvida um La Niña, a irmã frígida do El Niño.
Diz Art que se o Eyjafjallajokull não preocupa muita gente, as erupções do Katla ou do Laki já produziram antes alterações temporárias do clima, como o Pinatubo. É frequente o Katla entrar em erupção a seguir ao Eyjafjallajokull (um geofísico islandês diz que isso ocorreu sempre), tem um ciclo de 80-90 anos, e a última erupção foi em 1918. Sobre isto, já sabemos, é cinza e SO2.
O ciclo de manchas solares de que estamos a sair foi um dos mínimos mais longos de manchas solares: 12,7 anos contra o habitual de 11 anos. Quando isso acontece, e estando certos desta teoria das manchas solares, por cada prolongamento de um ano de atraso no início do ciclo, a temperatura desce meio grau.
O terceiro jogador é o fim do El Niño, que se espera para este verão, sendo possivelmente substituído pela fria irmã, La Niña. Caso se desenvolva, como se julga a partir do Southern Oscillation Index, trata-se de uma convergência de factores, diz Art, que não ocorre desde o início do séc. XIX.
Isto é, se se juntarem estas três coisas, diz Art que vai arrefecer valentemente por uns anos. Cá estaremos para ver, se Zeus quiser.

Sem comentários: