sexta-feira, 16 de abril de 2010

Erupção do Eyjafjallajokull devida ao Aquecimento Global! (*)


(Atualizado segunda vez)

É tanta maluqueira que até fico com a cabeça à roda. Alguém começou, no WUWT, a dizer, por piada, que a erupção do Eyjafjallajokull se devia ao derretimento do gelo do glaciar que o cobria. Mas, vejam: o No Scientist, em 2008, e recentemente o Sc Am, noticiam que as erupções podem ser devidas ao derreter das camadas de gelo que cobrem os vulcões.
Então é assim. Vai o CO2, um gás vestigial na atmosfera, aumenta-nos a temperatura, que derrete um glaciar em cima de um vulcão (agradecia um exemplo, se houver, obrigado) e a redução da pressão em cima do vulcão permite uma erupção.
Talvez (repito, talvez) a minha mulher a dias acredite isto. Mas até estou em crer que não.
Qual é a pressão exercida por uma camada de gelo com, sejamos generosos, 500 m? (Não era o caso do glaciar do Eyjafjallajokull – que, esse, derreteu por causa da erupção!) Qual é a pressão exercida por uma camada de pedra, e volto a ser generoso, com 20 km?


Verdade, as câmaras magmáticas conhecidas, detectadas, podem estar só a 1 km da superfície. Vamos repetir as contas (os vulcanólogos islandeses usam como média um valor de 25 km de profundidade). Mas a maioria continua por detectar.
Curiosamente, acontece que a Islândia tem sido dos poucos sítios que têm escapado ao Aquecimento Global Antropogénico Catastrófico (ou a Phil Jones e James Hansen):

Mas, vai daí, continua a ter sido do Aquecimento Global Antropogénico Catastrófico -- porque derreteu o gelo na Groenlândia, o que causa a erupção na Islândia. O AGAC, na Groenlândia, activa o vulcão da Islândia - estão a ver?  Pronto, sim, eu sei da tectónica de placas, e falam de um efeito isostático e tal, uma espécie de balança entre um lado e outro.
Mas o gelo na Groenlândia tem aumentado em espessura (faltam dados nos últimos anos). Só tem diminuído um pouco, a sul e leste, junto ao mar.
Suspeito que isto ainda vai dar mais conversa nos próximos dias. Mas isto é tudo demasiado pós-normal.


* - Felizmente, os vulcanólogos não acham que no caso específico do Eyjafjallajokull tenha sido do CO2, porque o glaciar era pequeno. Mas mantêm as ameaças inespecíficas.



Update: No WUWT, um artigo faz as contas à pressões entre glaciares e câmaras magmáticas. Em poucas palavras, cada 10 m de gelo valem 0,013 ºC de variação do ponto de fusão. Cem metros, 0,13 ºC; um quilómetro de gelo, 1,3 ºC. O glaciar mais espesso da Islândia tem 500 m de gelo. Se tiver um vulcão por baixo, e se o glaciar derreter todo, o ponto de fusão do magma desce 0,5 ºC. E mais considerações.



Sem comentários: