sexta-feira, 2 de abril de 2010

Picadinho eólico

Isto não é sobre aquecimento global, mas não resisto. As eólicas matam pássaros aos milhões. Muito especificamente, Richard North fala das aves de rapina, e mesmo de espécies protegidas. Neste video, um abutre é morto* pela pá de um gerador eólico, a 300 km/h:


Diz ele que é proibido matar uma data de espécies, a não ser com um gerador eólico... Estas maquinetas não me parece que sejam muito boas para a biodiversidade, até porque seleccionam os pássaros maiores. Os verdes ainda não pensaram nisto, querem ver.
Um agrupamento eólico, Altamont Pass na Califórnia, mata entre 100 a 150 águias por ano. Boa média.
Na Noruega, na ilha de Smola, que era o habitat de uma dada espécie de águias, sobreviveu uma única cria no ano passado.
Na Tasmânia, uma espécie está quase dizimada.
Mark Duchamp, no site Iberica 2000, fala de talvez um milhão de pássaros mortos em Espanha por geradores eólicos.
Mais uma vez, é o negócio. A electricidade gerada pelas (ineficazes) “ventoínhas” é paga por todos nós, a peso de ouro, através da nossa conta de electricidade.


Update: Novo chavão encontrado num comentário de blog: "Partam átomos e não pássaros".
* Update: com a devida vénia ao Ecotretas, podemos dizer, através de uma versão mais longa do video, não só que o abutre não morreu, como foi socorrido e levado para um hospital veterinário, com uma asa partida e a coxear, onde foi tratado.
Também pelos bons ofícios do Ecotretas, a versão longa do video foi ter ao Watts Up With That, onde podem ver os links mais relevantes, e onde seguramente será mais visto (e comentado) que nesta tabacariazinha de bairro :-)
Como por lá se vai comentando, não é por matarem pássaros que nós por cá não gostamos das eólicas (não sou vegetariano). É por serem ineficazes, a electricidade nos sair quatro ou cinco vezes mais cara, criarem instabilidade nas redes eléctricas, serem parte da burla político-financeira aquecista, destruirem a paisagem, serem um perigo para a saúde humana e animal (não vou escrever tão cedo sobre isto), alterarem o clima localmente (um dia escrevo uma notinha sobre isto, ou alguém outro escreve), ser inútil reduzir as emissões de carbono para tentar controlar a temperatura, e matarem pássaros. Ou seja, um barrete em toda a linha.

Sem comentários: