domingo, 2 de maio de 2010

A ciência da desgraça

Dentro do meu ponto de vista, que julgo ser o da generalidade dos leitores, de que para termos uma opinião formada devemos ouvir ambas (todas!) as partes (mais uma vez o latino audiatur et altera pars, que está na descrição deste blog), incluo na lista de blogs o aquecista Science of Doom.
Quem o recomenda? Pois nada mais nada menos do que o difícil Steve McIntyre, do Climate Audit, o grande veterano contra a equipa de hóquei, herói da saga em livro The Hockey Stick Illusion* de Monford (mais conhecido como Bishop Hill). Ei-lo:



Este é uma das minhas caricaturas preferidas, de entre as feitas pelo Josh, de diversos intervenientes (todos céticos) da chamada blogosfera; a outro é a do Anthony Watts, que também tem o Science of Doom na sua lista. O Science of Doom retribui a gentileza a Watts e McIntyre.
Vale a pena ler o about do blog, bem como as notas sobre etiqueta. Em suma, o homem quer tratar de ciência e não aceita que se insulte quem tem outros pontos de vista. Acredita no que diz, e é assim que deve ser. Não quer lá nem políticos, nem activistas, nem gente a comer com os pés, a assoar-se ao guardanapo e beber mines aos gritos.
Andei por lá a espreitar e acreditem que tem demasiada física e equações diferenciais para a minha cabeça, o que é poucas. Com certeza que tive física, com vectores e cálculo diferencial e integral e tudo quando era pequeno, mas já lá vai muito tempo, e nunca mais precisei disso desde... 1971? Quarenta anos? Eh! O tempo já não é o que era.
Ou, posto doutro modo, acompanho os conceitos, mas não ficam claros na minha cabeça se não fizer as contas, e já não sei fazer as contas (e não quero).
Ora isso, claro, não tem de acontecer com os meus prezados leitores (os que sabem física e cálculo diferencial...) Sendo assim, tenham a bondade de ir espreitar, se quiserem. Seems decent.

* - Neste momento, recomendaria aos principiantes, e aos nem tanto, dois livros apenas: um é esse, e outro, em jeito mais leve mas também com conceitos e histórias importantes, o “The Deniers”.

Sem comentários: