segunda-feira, 3 de maio de 2010

Pielke e a exclusão de artigos pelo IPCC

Pielke Sénior tem um conjunto de dois posts (aqui e aqui) sobre artigos científicos que o IPCC excluiu. Trata-se de uma repescagem dum artigo seu de blog de 2007, e refere-se apenas a artigos na área de especialidade dele, o impacto do uso da terra.
É evidente que o IPCC, ou qualquer outro, só cita os artigos que acha que são relevantes para o trabalho que faz, se bem que isso não seja desculpa para um viés. Aqui está a percentagem de exclusão de artigos; de 55, foram postos de parte 40:


Pielke Sénior acha que muitos artigos relevantes foram excluídos por não concordarem com a política do IPCC. Sabendo como funciona o IPCC, isso não me admira, nem me admira que Pilke tenha uma irritação contra o IPCC, uma vez que têm pontos de vista diferentes.
É curioso, a este respeito, o comentário do jornalista Lawrence Solomon no livro “The Deniers”. Diz ele que dos cientistas que entrevistou, nenhum duvidava da realidade do aquecimento global. Mas todos, na sua área de conhecimento, achavam que o IPCC estava completamente errado. Curioso, não é? E se sobrepuséssemos as respectivas áreas de conhecimento, o que é que ficava?
Diz ainda Pielke Sénior que há uma inclusão de artigos de pessoas responsáveis pela elaboração do relatório (Karl, Peterson, Easterling, Parker e Voss). O mínimo que posso dizer é que Pielke não teve muita sorte, mas menos teve Trenberth (o tal que anda à procura do calor perdido).


É sempre aborrecido não sermos citados na maior revisão da nossa própria área. Gente que fica possessa por isso é mato e, se querem que vos diga, lá temos de os aturar. Mesmo assim, destes, Pielke foi o autor mais citado.
Ficaria ver quem eram, na lista, os autores citados e o número de vezes que cada um era citado. Mas para isso não tenho paciência.

Sem comentários: