sábado, 13 de fevereiro de 2010

Dinheiro: Climate-KIC

 

Diz Richard North que a UE vai mandar mais 4 milhões por ano para uma economia de baixo carbono.
Dentro do programa Climate-KIC, com uma verba de 760 milhões de euros, a UE

Yamal



Um artigo de jornal de Setembro de 2009 fala do problema das reconstruções dendrocronológicas de Yamal.
Estas reconstruções envolvem oito artigos científicos .
As reconstruções a partir de anéis de árvores são problemáticas, uma vez que o crescimento das árvores depende de muito mais que a temperatura.

E continuam Phil Jones e a BBC...

Em complemento à publicação das perguntas e respostas, a BBC acrescenta mais um artigo em que Phil Jones fala da desarrumação do CRU.
Diz que a papelada do CRU, no que diz respeito a estações meteorológicas e dados

Phil Jones responde a perguntas sobre climategate e aquecimento global




Ontem, Phil Jones, ex-director do CRU da East Anglia University, quebrou o silêncio e respondeu a perguntas escritas da BBC sobre o aquecimento global.

sexta-feira, 12 de fevereiro de 2010

Erros não são erros



Pachauri diz que o único erro no relatório do IPCC é o dos glaciares, e já foi corrigido.
Os restantes não são erros porque é perfeitamente válido usar literatura que não

Como vão os inquéritos


Hoje, alunos da Penn State manifestam-se pela ausência de investigadores de fora na investigação a Mann: a universidade tem interesses em abafar a situação. A segunda fase do inquérito no CRU começa com a demissão de um dos peritos.

quarta-feira, 10 de fevereiro de 2010

A dimensão imensa da nossa ignorância


http://dotearth.blogs.nytimes.com/2010/02/09/does-an-old-climate-critique-still-hold-up/

Revkin (e outros) andaram a falar de uma afirmação de Andrew Lacis, do GISS, que diz que não vê nenhum mérito científico no Resumo para Executivos do IPCC. Entretanto, Revkin relê o relatório e duvida das afirmações incontroversas e assentes sobre a origem antropogénica do aquecimento global. Vai daí, escreve uns e-mails e recebe umas respostas.

Bishop Hill desiste logo na primeira frase



Bishop Hill decidiu fazer uma experiência: pegou num parágrafo do WG2 e foi ver as referências.
Desistiu na primeira frase.

O Manual dos Céticos



Joanne Nova escreveu há já algum tempo o Manual do Céptico, que podemos encontrar em Português do Brasil no URL acima.
Existe também em muitas outras línguas, e existe ainda um Tomo 2, que fala de aspectos políticos e económicos.


A colecção de artigos do Guardian


Surpreendentemente, o Guardian, bastião do Aquecimento Global Antropogénico Catastrófico, tem uma colecção interessante de artigos sobre a controvérsia que está a decorrer. Bom, umas no cravo, outras na ferradura, mas não está mal considerando como era

IPCC: Autores do WGI atiram-se aos do WGII




Autores do Work Group I do IPCC criticam os do Work Group II: “Não há dúvidas que a inclusão da frase sobre glaciares foi desleixada. Acho embaraçoso que o grupo de trabalho dois (WGII) tenha referido essa frase como o fez.”

terça-feira, 9 de fevereiro de 2010

IPCC vai atacar as crianças



Numa entrevista televisiva, Pachauri explica que agora vai passar a doutrinar crianças através dos media.

- It's interesting, because you're using the media now, obviously, and making the most of the media. What do you see as the next tools you could utilize to try to create change?
- Children. I think we have to sensitize the young, and tell them how their future is going to be affected if you don't take action today. And I think children are by and large very sensitive, and they understand. They know what's at stake, and I think that we can get

segunda-feira, 8 de fevereiro de 2010

Nota: a norma longa


Para termos a certeza que nos entendemos, uso, nos nomes dos números grandes, a Norma Portuguesa NP-18 "Nomenclatura de Grandes Números", que é a norma em uso em Portugal.

Assim, o "billion" americano e inglês é traduzido como milhar de milhão. Um milhar de milhão é 1.000.000.000. Penso que também no Brasil se usa a norma curta.

A população da Terra é superior a seis mil milhões.

O "trillion" é, em Portugal, o bilião: 1.000.000.000.000.


As verbas do WWF e do Greenpeace


http://www.climate-resistance.org/2010/01/wwf-wtf.html

O Climate Resistance foi ver que verbas tinham sido recebidas pelo WWF e o Greenpeace.

Entre 2003 e 2008, o WWF recebeu, depois de feitas as conversões para euros hoje, 2.313.344.000 euros.

O Greenpeace, de 1994 a 2008, e com três anos desconhecidos pelo meio, recebeu 1.691.031.000 euros.

Os anúncios verdes da Audi




Os Americanos estão todos a falar sobre este anúncio da Audi. Uns acham-lhe piada, outros acham-no inquietante, outros más relações públicas para a causa ambientalista.

Mas ainda querem mais




Cientista do IPCC acha que a má ciência se resolve com mais uns milhões investidos em relações públicas.
Esta crise é transitória e fabricada, e muito possivelmente desaparece com o tempo”, disse um autor do IPCC. “O que a comunidade científica precisa é de uns poucos dadores muito grandes, para atirar uns milhões de dólares em campanhas de relações públicas para contrariar a propaganda que por aí anda. Estamos a ser atacados em campanhas de difamação sem fundamento e não somos especialistas em relações públicas.”
Mais dinheiro ainda? E se tivessem começado por fazer ciência séria?

As petrolíferas e os cépticos




Na sequência de um artigo parcial no Independent, North relembra que a petrolífera Exxon pagou 23 milhões de dólares a instituições de cépticos ao longo dos anos.
O que é menos de um milésimo do que pagou o governo dos USA, e só este, para promover o Aquecimento Global Antropogénico Catastrófico. North acrescenta que, entretanto, o gasto dos USA em promover o aquecimento global cresceu dos 134 milhões para sete mil milhões anuais.

O WWF vem defender o seu número da Amazónia.




O WWF veio à praça dizer que os seus números de 40% sobre a Amazónia são bons, o IPCC é que citou a publicação errada.

A seca na Austrália não é do aquecimento global




Um paper (doi:10.1029/2009GL040598) de Dezembro de 2009 no GRL diz que a seca que se sente na Bacia Murray-Darling, na Austrália, não se deve ao Aquecimento Global Antropogénico Catastrófico.

domingo, 7 de fevereiro de 2010

Citação do dia


http://thedogatemydata.blogspot.com/2010/02/bbc.html

"Twelve months ago non belief in catastrophic anthropogenic global warming (CAGW) resulted in barely concealed sneers. Such strong opinions on science from people who couldn't plot a simple regression line if their lives depended upon it I must admit surprised me at first. Now a skeptical position

BBC investiu no aquecimento global


http://www.dailyexpress.co.uk/posts/view/156703
http://eureferendum.blogspot.com/


O incansável (repito...) North refere este artigo do Daily Express que desenvolve uma noção que tem andado por aí: que a BBC não pode ser imparcial sobre aquecimento global (e nunca foi!), porque tem oito mil milhões de libras de fundos de pensões de reforma dos funcionários investidos nele.

Estranho dinheiro


http://www.telegraph.co.uk/comment/columnists/christopherbooker/7176262/Climate-makes-money-move-in-mysterious-ways.html


O Telegraph apresenta hoje um artigo de Christopher Booker sobre verbas entregues para projectos favoráveis ao aquecimento global, alguns razoavelmente curiosos, que ele e (o incansável) Richard North andaram a investigar.

O IPCC e as colheitas em África




O IPCC diz, muito dramaticamente, que o aquecimento global pode reduzir em 50%, por 2020, a produção agrícola do Norte de África.
Essa afirmação (Agoumi 2003, no Synthesis Report, 3.3.2) baseia-se num panfleto de uma ONG. Trata-se de um artigo do IISD - International Institute for Sustainable Development, no Canadá, um grupo activista ambiental, e que também escreve sobre quotas de carbono.
Pior ainda, duas  das referências do panfleto de Agoumi não apoiam as afirmações apresentadas.

O estranho caso dos gráficos ás avessas




Bishop Hill lê o “The Hockey Stick Illusion”, escrito por ele próprio. No cap. 14, conta a história de como Mann tenta criar mais um stick de hóquei em 2008.

O barrete do consenso: a carta que a Science se recusou a publicar




Em 2004, poucos dias antes de um importante encontro do UNFCCC, a Science publicou um artigo de Naomi Oreskes dizendo que, de entre uma pesquisa de quase um milhar de artigos, nenhum discordava da conjectura do aquecimento global antropogénico catastrófico.

O British Council e o AGAC




 Porque é que o British Council gasta dinheiro a promover o AGAC?
Em dois anos, o British Council gastou 3,5 milhões de libras (40 milhões de euros) em propaganda a favor do Aquecimento Global Antropogénico Catastrófico.